sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

A burra de Balaão na CNN!


Usa-se a expressão "burra de Balaão" quando a mensagem de alerta vem de um local improvável. A Bíblia conta a história do profeta ganancioso que não queria ouvi-lo (Números 22-24) e lançou-se numa operação para encontrar com Balaque, rei dos moabitas, com a finalidade de amaldiçoar a nascente nação israelita. Mas Deus frustou seus planos no caminho falando-lhe através da burra, que na verdade, era uma jumenta[1]. O resto é história.

Desta vez é a CNN que trouxe uma reportagem sobre citações que não estão na Bíblia. De fato, tanto lá nos EUA como aqui a Bíblia é o livro mais citado de forma errada. Leiamos uma parte da reportagem (citações em azul não estão na reportagem):
Os políticos, palestrantes motivacionais, treinadores - todos os tipos de pessoas - citam passagens das citações que, na verdade, não têm nenhum lugar na Bíblia, os estudiosos religiosos dizem. Estas passagens fantasmas incluem: 
"Deus ajuda quem se ajuda." (que é o nosso Deus ajuda, quem cedo madruga)
"Poupe o bastão, estrague a criança."
E há essa paráfrase freqüentemente citada: Satanás tentou Eva a comer a maçã proibida no Jardim do Éden. Nenhuma dessas passagens aparecem na Bíblia, e esta última é realmente anti-bíblica, os estudiosos dizem.
Se formos comparar com as palavras ditas em nossos púlpitos a coisa toma ares de alarme. Justo porque nossos pregadores não leem a Bíblia. Há até mesmo poucos pastores que a leram toda em sua vida, Resultado: ignorância bíblica. Aliás, esta também é a conclusão da reportagem.

Lendo o livro "Fatos e personagens de perseguições a evangélicos" do Josué Sylvestre, nos deparamos com a constatação de que muitos crentes foram vitoriosos em seus embates com os padres católicos, nos duros anos de perseguição no Nordeste, pelo simples fato de que liam a Bíblia. Os sacerdotes católicos, por sua vez, só conheciam os documentos do magistério romano.

A reportagem detecta acertadamente que o problema é a falta de leitura. Vocês sabem que no ENEM do ano passado, 500.000 pessoas tiraram nota zero em redação. O brasileiro lê pouco. Na igreja já foi-se um tempo que não havia Bíblias, hoje é o contrário, há Bíblias demais. O que falta é apetite. Desde aquele jovem que vara as madrugadas jogando e nas redes sociais, mas alega falta de tempo para ler as Escrituras, até aquele obreiro que se põe a ler a Bíblia na hora do culto, ao invés de meditar em casa. Uma lástima!

Claro, claro, a reportagem da CNN puxa para seu lado humanista, quando fala a respeito do Gênesis, por exemplo, mas não deixa de ser um sintoma dos nossos dias.

Que a burra fale, quando não queremos falar.

Leia a reportagem completa, em inglês, clicando aqui.

[1] Equus caballus cavalo (macho) ou égua (fêmea)
Equus asinus jumento (macho) ou jumenta (fêmea)*
Jumento + égua = burro (macho)ou mula (fêmea)
Cavalo + jumenta = bardoto (macho ou fêmea)
*Asno e jegue são outros nomes para o jumento

Fonte: Mundo Estranho, Editora Abril
http://mundoestranho.abril.com.br/materia/qual-a-diferenca-entre-jumento-mula-burro-jegue-e-asno

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.