sábado, 16 de agosto de 2014

De profecias, inserções estranhas e profetadas

Prezados dez leitores, a imagem abaixo foi replicada mundo afora. Creio que muitas pessoas até mesmo do Exterior tiveram acesso à mesma pois vivemos numa aldeia global. Retorno em seguida:


Quando tive acesso pela primeira vez no Facebook tive duas reações:
1) Achei inteiramente plausível. Deus fala! Para mim está fora de cogitação o silêncio de Deus. Está vivo e ativo no mundo dos homens, coordenando a meta história que se passa no mundo. Aliás, as história do Universo inteiro está na palma das mãos de Deus! Isto posto, repliquei aqui no blog sem dúvida, porém, tive o cuidado de aguardar maiores informações sobre o teor;

2) Fui pesquisar o conteúdo, pois não estava presente. As informações eram as mais desencontradas possíveis. Uns falavam em cortejo, outros em ganhar as eleições, etc. Não dava para confiar em todos os relatos. Conversando com pessoas equilibradas que ouviram, de fato, a profecia o argumento principal, do cortejo, etc, se desfez.

Antes de prosseguir, gostaria de frisar que a profecia registrada na fotomontagem se deu em Abreu e Lima, Pernambuco, na igreja Sede da Convenção de mesmo nome, da qual faço parte, portanto, aconteceu de fato. A data: 16 de maio de 2013, culto festivo na Igreja. Eduardo só romperia com o Governo Dilma e se lançaria candidato em setembro. O problema é o teor. Seguramente não foi nada do que disseram nas redes sociais.

Outras considerações se impõem:
1) A profecia é necessária a nossos cultos. Penso que nenhum estudante pentecostal sério descrê disso. Porém, o que nos chama a atenção é avidez com que muitos recorrem à possibilidade. De fato, há quem creia que culto animado é onde há profecias e quem as prefira até à salvação de almas! Confesso que já concordei com a primeira hipótese na minha ignorância espiritual;

2) Na Bíblia Deus fala como quer, a quem quer e aonde quer. Não é diferente hoje. Por que um político, com suas notórias distorções éticas (não falo de Eduardo Campos, mas de forma generalizada), não poderia ouvir a voz de Deus? Por este raciocínio nem Faraó, nem Nabucodonozor, para ficar em dois exemplos, poderiam sonhar sobre o destino do mundo! Deus só fala aos evangélicos? De forma alguma!

3) Não ouvir corretamente uma profecia não dá o direito a ninguém de acrescentar e/ou retirar palavras. Este é o problema principal do caso em apreço. É um risco que também corre o vaso! Cuidado, se Deus falou uma frase, não acrescente um parágrafo. Falta de atenção com as coisas de Deus produz meninice e estultície. A mentira ouvida ou falada vai sendo replicada para prejuízo da Igreja e da obra de Deus. E se Deus não te deu mensagem no culto, fica calado meu amado profeta!

4) Percebo um efeito psicológico na elevação de políticos na Igreja. Mal chegam e as palavras de vitória, decretos e profetadas se sucedem. Dia desses fui procurado por um candidato crente e outro não evangélico que receberam uma profetada e não se elegeram. Estavam decepcionados. Lhes disse: 1) Que não foi Deus que lhes prometeu; 2) Ou eles entenderam errado a profecia; 3) Ou era para outra pessoa. É uma lástima que a Igreja se preste a esse expediente de balcão profético, sob a benção de muitos líderes.

5) As profetadas prosperam num ambiente de analfabetismo bíblico. Muitos cultos priorizam cânticos e louvores em detrimento da Palavra de Deus. O tempo exíguo inibe o aprendizado. Não é raro cultos de doutrina com quinze minutos de instrução bíblica. Isso quando não se ocupa o tempo exclusivamente com costumes e mensagens de carapuça. Outro absurdo que já está disseminado entre nós é o famoso: Agora vamos ficar em silêncio e não nos levantemos dos nossos lugares porque é a hora da Palavra. E o que estávamos fazendo no culto até agora?

Cuidado, com o culto e as coisas de Deus não se brincam! Na Lei o falso profeta morria fisicamente, na Graça morre espiritualmente.

3 comentários:

Wilma Rejane disse...


Saudações Daladier,

Parabéns pelo artigo!

Daladier Lima disse...

Prezada Wilma Rejane, obrigado. Que Deus te abençoe.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Daladier,

Parabéns pela clareza do artigo.

Saúde & Paz!