terça-feira, 17 de julho de 2012

Matando a charada...

Finalizada a enquete dois posts abaixo, eis que alguns comentaristas repetem os mesmos argumentos. Só para dar um pãozinho para preparar o jantar, leio um PDF da Assembléia de Deus norte-americana, aliada da brasileira. Neste link a Assembléia de Deus americana mostra com quantos paus se faz uma jangada... Quem assina o documento é gente do quilate de Stanley M. Horton. Dêem uma lida e depois conversamos.

Mas não se afobe, leia a lista abaixo, originada no mesmo site da AD americana. Os nomes, de mulheres, estão no cerne das decisões americanas. Eles não tomaram a decisão para parecer de vanguarda, ou porque achavam bonitinho. Era a necessidade da seara. Dois detalhes: 1) Nem se falava em feminismo; 2) São trabalhos de dezenas de anos, muitas vezes. E há vários exemplos no próprio site.

Da próxima vez que forem falar bobagem, leiam as linhas abaixo e se calem. Deus está usando as mulheres, quer vocês queiram, quer não. E almas, a meta de todo trabalho eclesiástico, estão sendo salvas e libertas pelo poder do sangue de Jesus e através da pregação delas.

Missionary Heroes

Lillian Trasher
The Lillian Trasher Orphanage in Assiout, Egypt, began in 1911 when a dying mother gave her baby to Lillian to raise. Over the next 51 years, Lillian cared for 8,000 other orphans. The orphanage she founded has been home to over 20,000 of Egypt's unwanted children and continues to provide hundreds of boys and girls with food, shelter, clothing, vocational and spiritual training and the love that transforms lives.







Anna Tomaseck
In 1936, Anna Tomaseck heard the voice of God asking her to care for the unwanted children of Rupaidiha, a village in the mountains of North India near the border of Nepal. She founded the Nur Children's Home, known as "the last house in India." In this remote location, she spent the next 33 years raising 420 Indian and Nepalese children, many of whom now minister throughout Southern Asia. These children were among the first to bring the gospel into Nepal.

Anna Ziese
Throughout some of the most tumultuous years of China's history - the Japanese invasions and the rise of Mao Zedong - Anna Ziese lived as one with the Chinese in Taiyuan. When all other missionaries left in 1948, Anna refused to go. From her arrival in 1920 to her death in 1969, Anna Ziese left China only once. Her final years of ministry remain mostly shrouded in silence, since government censorship precluded her from offering details about the work. Still her enduring legacy is revealed in these words written about her by a Chinese believer: "We Chinese will gratefully remember forever those missionaries who left their homelands and came to China to preach the gospel."



Hilda Olsen and Peggy Anderson
In 1950, two single American women pioneered the Assemblies of God work in Lesotho, Africa. Working out of a speed the Light trailer, Hilda and Peggy held services, started a Sunday school and established a medical clinic and bookstore. With the help of national workers, they ministered in prisons, a hospital and a leper colony in the capital city of Maseru. Their 36 years of faithful service prepared the way for the Assemblies of God work that flourishes in Lesotho today.





Alice Wood
Alice Wood arrived in Argentina in 1910 and never left until her retirement 50 years later. In a town called 25 de Mayo, she founded a church and a Sunday school where she faithfully ministered to both the rich and the poor. Her work touched the lives of doctors, lawyers, bankers, storekeepers and field workers. Her efforts in Argentina helped lay the foundation for the revival that continues to transfigure this nation today.






Florence Steidel
In 1924, Florence Steidel had a vision of throngs of sick people in a place she did not recognize. Thirteen years later, her vision became a reality as 68 lepers moved into New Hope Town, the leper colony she founded in Liberia. Until her death in 1962, Florence worked in New Hope Town, which at one point was home to 1,000 lepers. An average of 100 lepers was released each year "symptom free," and 90 percent of those who came for physical help also found a new life in Christ. During her 25 years of service in Liberia, Florence Steidel introduced hope and life to thousands who were dying, both physically and spiritually.



Mary Metaxatos
As a single missionary in 1949, Mary Orphan arrived in Greece to help the fledgling national church. That same year, as supervisor of the Assemblies of God work, she began pastoring a church in Pireaus, visiting churches on various Grecian islands, conducting Bible studies, running children's camps and serving on the national church board. Many of those who accepted Christ as their Savior during the early years of her ministry became pastors and officials within the Assemblies of God of Greece. Mary and her husband, Gerry Metaxatos, participated in the Bible school, evangelistic outreaches, local church ministry, and church planting efforts throughout Greece until her death in 1986.
Reprinted from the February 25, 2001 issue of Today's Pentecostal Evangel. Used with permission.

3 comentários:

Daladier Lima disse...

Ricardo,

É ruim ter de desenhar. Mas, vamos lá. Estou exemplificando com a AD americana, porque os atenadinhos daqui gostam muito deles (a CPAD até traduz seus títulos, não é?*), porque há realmente exemplos maravilhosos de mulheres no ministério (não sei se vc se deu ao trabalho de visitar as páginas) e porque somos co-irmãs daquela igreja. No que tange aos exemplos, os há por aqui também, pasme!

Não concordo com tudo que eles dizem sobre o assunto, como não concordo com todos os argumentos do Pr. Sóstenes Apolos para consagrar mulheres. Mas a questão é: você, sendo pastor de uma igreja, abriria mão do trabalho feminino, e cumpriria EXATAMENTE o que diz Paulo sobre o assunto? Se é para ser como você e outros querem, então as mulheres deveriam ser retiradas imediatamente de todo trabalho de ensino e liderança. E você deveria ser colocado no lugar! Simples assim. NÓS, HOMENS, não queremos ensinar crianças? Oh! Ministério maravilhoso, para as MULHERES!

Não é arrogância, minha insistência é mostrar o outro lado da questão. Certos luminares brasileiros, que beijariam a mão de Stanley Horton ou de Waldyr Carvalho Luz, querem impor sua versão. Então, história e fatos neles e em você, que permanece com sua visão desfocada e míope.

Eu não descobri nada. Frida participou de uma reunião do ministério em 1930, quarenta anos antes do meu nascimento e trinta antes do auge do feminismo. Pesquise um pouco. Não vou para os EUA não, vou ficar aqui enchendo sua paciência com histórias e fatos que você não pode apagar.

Adote a visão paulina, exceto pelos capítulo 16 de Romanos (Tá vendo que não foi como você fala dos apóstolos)! E assuma no próximo sábado o Círculo de Oração Infantil. Todo sábado! E compre um apagador bem grande, para o que as mulheres fizeram antes de você!

Sorry!

* A CPAD traduziu livros de Sharon Jeynes, procure saber quem é

Daladier Lima disse...

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Matando a charada...":

Ricardo
Prezado Deladier
As vezes nos cansa por suas bobagens, porque Deus usa uma pessoa para ganhar almas, ela esta apta para ter um cargo eclesiastico, ja vi Deus usar muitas criancas e dai, vamos ter que consagra-las a Pastor, me de um exemplo de Jesus quantas apostolas ele tinha, mao obstante de ter mulheres como suas seguidoras, voce para radicalizar ou talvez para ridicularizar, aqueles que nao aprova a consagracao de pastoras, quer desenhar a todos como radicais nao reconhecendo o trabalho delas, deixo de ser bobo e ser menino, todos reconhecemos, s[o nao reconhecemos o que Cristo nao reconheceu, o que os apostolos nao reconheceram, mas volto a dizer, diga ao Pastor Presidente que ele esta errado, a historia da nossa Igreja esta errada, ou como o senhor disse em outro post os velhos estao errados, ate porque eles nao tem o que ensinar aos jovens doutores como o senhor, que descobriu o Evangelho, por favor, que arrogante....
Mas le aconselho vai para os Estados unidos para AD, pelo menos o senhor vai se sentir melhor, ahhh sei nao o senhor criticou o USA quando respondeu em outro Post o Pr. Newtom Carpinteiro porque ele mora la o evangelho como o senhor disse de la nao tem muito o que ensinar para nos.
As muitas letras te fazem delirar pena que o senhor nao [e Paulo... ele se removeria do tumulo ahahaha

Por um erro de manuseio o comentário do "Ricardo", foi excluído. O restituí!

Anderson Ferreira disse...

O argumento americano eh forte...Deixemos os criticos responderem..