domingo, 16 de setembro de 2012

Onde começa a EBD?

Pensando, nesta manhã, aonde começa a EBD, propus trazer alguns passos básicos para uma aula de sucesso. Pode ser que sirva já pra hoje...


Dobre os joelhos e ore por sua classe. Uai[bem mineiro]! E não era pra abrir a lição primeiro!? Não, não e NÃO! Uma boa aula começa com você orando por cada um dos alunos reais e potenciais. Lembre daquele Jorginho (os Jorges que me perdoem) que lhe dá um trabalho..., do Davizinho (os Davis idem) cujo pai está desempregado, do Maurício que está doente, do irmão João, aquele velho razinza, que sempre lhe traz perguntas difíceis, da irmã Josefina, cujo marido não é evangélico. De cada um deles, enfim. Ore também para que eles cheguem em segurança à EBD. E não esqueça de pedir que suas mentes sejam abertas pelo Espírito Santo, para compreender o que Deus irá lhes transmitir através de você. Se você não sabe o nome de seus próprios alunos, aí a necessidade é outra!


Mas sua oração não terminou. Ore por sabedoria, é a Bíblia quem nos aconselha em Tiago 1:5. Ah! Eu sei que o texto fala de quem tem falta de sabedoria... Num mundo em que há tantos sábios, não é? Eu não tenho vergonha de dizer: preciso muito de sabedoria divina! Não esqueça de pedir sabedoria na condução da aula, para que você não se enrede em questionamentos fúteis que só atrapalham a compreensão. Ore, também, por criatividade. Ela é um dom de Deus. Peça a Deus que use suas mãos, seus braços, sua mente, sua boca, sua mente, seu intelecto, que lhe dê inspiração para expor determinado assunto. Ore por graça. É uma dádiva divina. Ninguém a tem por melhor que seja o seminário aonde estuda. Acredite: eu conheço profundos catedráticos que não sabem transmitir uma aula de 10 minutos! Ore pelos demais professores para que sejam usados da mesma forma que você. Ore pelo dirigente, para que Deus lhe dê sabedoria na condução do trabalho.

Agora vem a lição. Não a de hoje... A de hoje não!? Claro que não! A lição é um livro, você precisa lê-la completamente para se assenhorar do conteúdo. Hoje é um tópico do grande assunto desses três meses. Há alguns que não leem sequer os títulos das demais lições do trimestre. Aí acontecem algumas coisas. Primeiro, antecipam lições futuras atrapalhando a sequência. Segundo, por falta de uma visão panorâmica do assunto do trimestre, se enrolam completamente e embaralham a classe. Os alunos saem mais confusos do que chegaram. Terceiro, o planejamento fica prejudicado. Resultado: aprendizado comprometido.

Definida a lição, de hoje, pesquise e aprofunde o assunto, por mais banal que pareça. Conheço professores cuja primeira atitude diante de uma lição como a deste domingo é perguntar para si mesmos: pra quê uma lição sobre abandono? Tanto assunto importante... Ao invés de perguntar: Senhor o que queres falar aos meus alunos sobre as dores do abandono? Por misericórdia, usa-me para isto. Viu como é importante a oração? Esboce mentalmente uma sequência. Registre as perguntas, inquiete seus alunos, tire-os do lugar comum. Mas tenha o cuidado de explorar alguns tópicos apenas. Professores generalistas acabam não sendo bons comunicadores. Cobrem o assunto todo, falando em cada tópico, e não há condições de absorver o mais importante. E o que é mais importante? Depende da lição, do seu preparo, de sua classe e de variáveis as mais diversas. Que tal falar hoje sobre o costume americano de abandonar seus idosos em asilos, embora os EUA seja a nação mais cristã do globo? Pelo santo amor de Deus não fique apenas lendo a lição para seus alunos. Eles querem muito mais...

Tenha a perspicácia de observar se os alunos estão participando da exposição. A tendência é que uma boa classe compartilhe, questione, participe, esteja atenta. Identifique as dificuldades, antecipe-se às necessidades. Envolva a sua classe numa atmosfera de aprendizado. Trabalhe seus pontos fracos. Melhore os fortes. Formule as perguntas claramente. Exija respostas. Responda às perguntas. As que não souber, pesquise. Não encare os questionadores como inimigos, se eles te derem uma faca de papel e dois limões, faça a limonada!

Finalizo este texto perguntando: onde começa a EBD? Ora, de uma coisa eu tenho certeza, a lição do próximo domingo começa ao final da de hoje! Como assim? Não esqueça de preparar alguma atividade para que os alunos pensem nela durante a semana. Que tal você lembrar do Jorginho que não pode comprar a lição e pedir para que ele memorize o texto bíblico do próximo domingo? É uma maneira de contornar o problema se a classe não pode doar. Você verá como a aula vai mudar de aspecto e o aprendizado será certeiro. Para a glória de Deus. Porque por Ele e para Ele são todas as coisas!

6 comentários:

Sergiano Reis - EBDicas disse...

Enriquecedor!
Fique na paz.

jose erunides oliveira disse...

ôpa! estamos sempre aprendendo, adorei esse texto para acrescentar ao tema de nossa próxima reunião da EBD. Me permites?

Sergiano Reis - EBDicas disse...

Enriquecedor!
A paz do Senhor irmão Daladier.

Daladier Lima disse...

Prezado José Erunides, podes usar com certeza!

Daladier Lima disse...

Prezado Sergiano, obrigado por seu comentário.

Márcio Cruz disse...

Saudações Cristãs Nobre Daladier!!

O grande problema em muitas EBD's é que os docentes não tem a mínima noção acerca da didática e da pedagogia. Muitas vezes são pessoas usadas como "tampões". E um agravante: muitos que "lecionam", não procuram se qualificar na área.

Resultado:

- Salas quase vazias;
- Alunos "sobreviventes" desmotivados
- Crentes ignorantes.
- etc.

Ou muda-se este quadro, ou o barco vai à pique!!!

No Grande Mestre,

Márcio Cruz