quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Avisem ao Pr. Eurico e ao Anderson Ferreira!

Essa é do balacobaco, como diz o Reinaldo! O Ministério Público de Pernambuco vai realizar um debate sobre Direitos Humanos e Homofobia, os dados estão abaixo. Um dos convidados é o presidente do grupo Gay da Bahia, Toni Reis:

I Encontro sobre Direitos Homoafetivos
Data: 13.09.13
Horário: 8h30 às 18hM
Local: auditório do Banco do Brasil | Avenida Rio Branco, 240, bairro do Recife

Diligente e influenciado pelo lobby, nosso MPPE não se fez de rogado e mantém um blog para se estender no assunto. Divulga assuntos de interesse do grupo. A tendenciosidade é descarada. Tendo em vista o debate abriu-se a oportunidade para que as pessoas relatem situações homofóbicas numa das páginas do blog, dando quatro estórias (isso mesmo, com es) como exemplo, uma delas é esta aqui (grifos meus):
fechando os olhos…me lembro de minha mãe ao perceber como atendia o telefone . comentando com minha tia . Ele fala muito Delicado…. Lembro que isso me feriu pela primeira vez. pois sempre me achei normal. mas. apartir daquele momento senti que era diferente..e qdo conheci kennedy…num me controlei..tremia como se fosse me desmanchar. aqueles olhos azuis me faziam ficar gago sem palavras…e me apaixonei pela primeira vez.num queria perder qdo ele passava pra namorar minha vizinha. e fiz logo amizade com ele pois meu pai conhecia o pai dele. ele me perguntava porque eu tremia tanto qdo o estava com ele. e eu simplismente olhava pra seus olhos azuis como e ceu sobre mim. queria beija-lo e sentir seus lábios junto aos meus. me perder em um sonho sem fim. mas…tudo desabou. ele comentou com seu pai. que falou com o meu pai. e ai…fui chamado por minha mãe que num pergunta só me fez: vc é viado? eu praticamente e prontamente respondi com meus 12 anos que NÃO..com muito medo pois conhecia sua maneira de Bater..Ela completou dizendo .: se for quero que vc atravesse aquela rua cheia de carros e um lhe mate. pois num crio filho meu pra ser pederasta não. pois vai queimar no fogo do inferno e é pecado mortal….meu Mundo desabou …minha mãe naquele momento desejou que Eu morrese. me concentrei e passei a viver como ela queria. na igreja. cantando. orando e pedindo á Deus que tirasse isso de mim….o tempo passou ..com 16 anos arranjei uma namorada ..todos da minha familia se alegraram. Eu era Homem agora…mas..num aguentei pois ela .minha namorada gostava muito de mim. e qdo ela me beijava só imaginava Kennedy..acabei o namoro..e revoltei de novo minha mãe. estava começando a minha guerra contra minha familia e contra Deus. num suportei tinha que ser eu mesmo. e foi qdo chorando muito encontrei em minha vó uma Amiga. que num deixou mais eu apanhar. e me protegeu até eu perde-la qdo ela morreu. Kennedy descobriu o que eu sentia por Ele. e se afastou de mim. conheci outros amigos gays que me mostraram que eu num era doente. e que era maravilhoso beijar e ser amado. cresci. hoje homem feito. com 43 anos. levanto a Bandeira Gay pra todos que como Eu estão começando agora. E tenho uma palavra: Força….pois uma Dia esta Tempestade vai passar e no Final Deus vai te presentear com um Lindo ARCO-IRIS.
Bem, a panfletagem dispensa comentários. O mais interessante é que nas várias páginas dos blogs do MPPE não há tanta preocupação com outras demandas de interesse dos Direitos Humanos. Prisões em péssimo estado, educação pública de má qualidade, especialmente no ensino básico e médio. Falta de investimento em saneamento básico. E uma infinidade de problemas... O que dizer, por exemplo, de haver uma cota para o registro de demandas nos Juizados Especiais Cíveis, antiga Pequenas Causas? Não sei se mudou, eram 15 pela manhã e 15 à tarde. Quem perdesse só no outro dia. As praias, por exemplo, estão privatizadas pelas casas que invadiram a faixa de areia ou pelos bares oportunistas. Me faltam tempo para enumerar coisas que deveriam ser preocupação do MP.

Para começar um debate desta natureza com seriedade o MPPE teria que esquadrinhar os números da estatística oficial gay feita no site HomofobiaMata. Lá diversos casos de Pernambuco, esclarecidos como passionais ou da violência cotidiana de nossas ruas, estão contados como homofobia. Ano passado, 2012, o lobby cravou 30 homicídios homofóbicos por aqui. A resposta da SDS foi a seguinte:
O secretário de Defesa Social de Pernambuco, Wilson Damázio, fez nesta sexta-feira (7) um balanço sobre os índices atuais da violência em Pernambuco, contrariando a avaliação do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transsexuais) no que diz respeito aos crimes contra homossexuais. Em nota oficial divulgada à imprensa, a SDS disse que os 30 homicídios de homossexuais registrados em 2012 não ocorreram por homofobia.
Para a Secretaria de Defesa Social, as motivações foram: passionais, discussão, interesse financeiro, roubo (latrocínio), entorpecentes/drogas, embriaguez, dentre outros. Segundo o órgão, a demanda do movimento foi respondida por meio do Ofício nº 3129-GAB/SDS. Do total, 15 foram remetidos à Justiça com autoria.
Por que o Pr. Eurico e o Anderson Ferreira foram chamados? Ora, porque são evangélicos, representam as igrejas e são tidos como combativos. Pano pra manga o assunto tem. Sem falar dos nobres deputados estaduais como Cleiton Collins e Manoel Ferreira. Com a palavra nossos representantes.

Um comentário:

Raitler Matos disse...

Não sou favorável á direitos constitucionais reservados para uma dita minoria. Seja essa minoria branca, afrodescendente,Gay ou qualquer outra que hasteia a bandeira de sua minoridade.

Sou favorável a um código de leis constitucionais cujas quais não exclua a nenhum cidadão de seus direitos e deveres. Em se tratar por minoria, logo virá a ser moda juntar um punhado de pessoas expondo revindicações por serem minoria no contexto pretendido.

Punks,evangélicos,ateus,lavador de carros,desabrigados,mendigos, Skinheads,pagodeiros,funkeiros,prostitutas e gama outras poderiam reivindicar por seus direitos escusos.

A marcha das Vadias protagonizou este ano masturbação em público com crucifixos e destruição de imagens religiosas ligadas a ICAR. O que podemos então caracterizar esse ato e então não se é legitimo tratar os ofendidos por minoria??

É absurdo o estado mediante seus mecanismos legitimar direitos exclusivos a uns em detrimento de uma maioria.

Se há, e creio piamente que há uma minoria qual necessita sim ser assistida com direitos exclusivos e especiais e para mim essa única e verdadeira minoria são os verdadeiros donos destas terras Brasileiras: Os indígenas.