quarta-feira, 8 de maio de 2013

Lições do caso Marcos Pereira


A prisão do Pastor Marcos Pereira surpreendeu a comunidade brasileira, especialmente, a fatia evangélica. Há um ano tinha lido a VEJA, que tanto abordou a atuação espiritual do pastor, quanto as acusações que pesavam contra ele. Eu tenho apenas 43 anos, mas já vi muitos filmes deste naipe. Não descreio da igreja enquanto noiva inefável do Cordeiro, mas a cada dia confirmo tudo aquilo que vocês, meus dez leitores assíduos, estão acostumados a encontrar aqui.

Este é um blog de reflexões. Não vou ecoar notícias do caso. Vocês as teriam às pencas no Google. Minha preocupação é com as lições. Vamos por partes:

1) A mim causava indagações a preocupação beirando à misoginia do ministério chefiado pelo pastor em como vestir as mulheres membros de sua igreja. E se agravavam com a exaltação do modo de vestir das seguidoras do pastor. Sou um defensor do modo comportado de vestir das mulheres, tanto quanto dos homens. Afinal o exterior exprime o interior. Mas quando as boas e sãs medidas no que tange aos costumes são tomadas de maneira exagerada, há algo errado. O exagero, por vezes, embute o deslumbre, aquele sentimento de desejo sublimado pela ordenança. Aqui e acolá ouço ecos dos problemas causados por tal exagero. Por fim, há de se notar os ternos bem cortados do Pr. Marcos Pereira em contraste com a monocromia de suas seguidoras. A julgar pelas notícias, não deu outra.

De fato, há obreiros brincando com esta dicotomia, seja fisicamente, ou na mente, ou na internet, num jardim, numa secretaria. Não importam, porém, os meios ou se o pecado é potencial ou consumado. Mas é pecado. Os casos se sucedem de maneira assustadora. Dias atrás recebi a notícia de um pastor, em outro Estado, que levou uma das irmãs de sua própria igreja ao motel e gravou a cena toda. Sua carnalidade não se contentava apenas em desejar, numa primeira etapa, nem em consumar, numa etapa seguinte, mas em alimentar a rede de exposição. Satisfazendo não apenas o homem sexual, indo ao ponto de pavonear-se diante dos demais. O vídeo foi parar na web (não era isso que ele queira quando gravou?) e ele abandonou a cidade na qual aconteceu a história e aonde exercia o pastorado. A lição é dura, mas é real. Quantos obreiros não jazem caídos nesta vala? E quantos estão analisando a profundidade dela?

2) Apesar de admirar o trabalho feito nas penitenciárias, fato que já foi destacado em posts aqui, causava urticária o método empregado em tal mister. Os gritos, a tendência megalomaníaca midiática depunham contra a simplicidade preconizada nos evangelhos. Passou despercebida para a maioria, talvez, porque os tempos que atravessamos são propensos a tais comportamentos. Hoje, pregador bom não é o que com paciência, temor e espiritualidade expõe a Palavra de Deus. Mas aquele que manipula o público, abusa da eisegese e ainda faz campanhas de arrecadação para a Igreja. Minimizam-se os desvios, tolera-se a gritaria, releva-se os exageros. O resultado... Posts abaixo, falamos sobre o GMUH. Um evento cuja tendência é cada vez mais preocupante, mas também tolerado. Por exemplo, o comportamento de se levantar para pular ante uma ênfase maior num determinado momento da pregação (ou melhor, quando um chavão novo é dito, esta é a verdade) está sendo replicado em muitas de nossas igrejas. Todo tempo se dava glória sentado, agora tem que levantar e pular?

3) Esta é a enésima vez que toco neste ponto. O Pr. Marcos Pereira teria um ministério abençoado, com estilo próprio e um modo particular de resolver os problemas da comunidade aonde funcionava. Mas precisava se amparar num nome denominacional: Assembleia de Deus dos Últimos Dias. A segunda parte é só um aposto para diferenciar, ao mesmo tempo que se enturma. Basta ver como minimiza na fachada dos templos, como este ao lado. A CGADB faz vista grossa para essa praxe. Qualquer um toma o nome e o coloca em qualquer lugar. Cria uma igreja de fundo de quintal e põe: Assembleia de Deus das Carruagens de Fogo. Pronto. Quando a casa cai, e a julgar pelos argumentos da Polícia o caso é explosivo, quem está na berlinda? Quem? A Assembleia de Deus, ora! Não sabemos quanto tempo vai durar a leniência, mas o prejuízo é mais que evidente. Imagina agora alguém justificar que esta não é a Assembleia da qual faz parte, que esta é uma igreja genérica, etc e tal?

Há inúmeras outras lições, mas meu tempo não dá. O conjunto da obra é digno de pena. Dá dó perceber que a ficha do pastor não caiu. A julgar pelo conteúdo do inquérito, ele ficou anos adulterando e conduzindo o rebanho. Anos pecando e pondo tropeço diante dos demais, de forma lisonjeira e dissimulada. Será um prato cheio para a mídia, que já busca vinculá-lo ao Pr. Marcos Feliciano, para poder jogar todos os gatos num saco só. Em tempos de campanha velada contra vestais...

Finalizo dizendo que devemos orar por nossa igreja e por nosso País. Tais fatos ,apesar de não serem novidade, tem o dom de prejudicar a Obra de Deus, bem a contento do tentador. Se for com a colaboração de algum irmão, tanto melhor para ele. Que Deus no guarde no sangue de Jesus e que cada um esteja seguro em seu próprio ânimo.

13 comentários:

Matias Borba disse...

Triste realidade...

Só lamento o fato do Presidente da CGADB ser tão passivo ante tal problema. Não pelo problema em si, mas pelo nome "Assembleia de Deus", nome que ele tem eixado de defender há anos na mesma mídia que ele busca!

Deus nos ajude.

Abraços!

Ricardo Leite disse...

Assembléia de Deus dos ULTIMOS DIAS, entendeu!? O próprio nome já explica muita coisa. É o fim dos tempos.

Pastor Sebastião e Missionária Aureni disse...

gostei da maneira como o assunto colocado, sem sensacionalismo, vejo uma intenção de não se aproveitar do momento difícil que as denominações e seus pastores ficam nesta situação. Que nós como pastores possamos nos preocuparmos em pregar a palavra, nos prepararmos melhor, e não ficar vislumbrado pela mídia. É melhor que Jesus seja conhecido.Bom dia, que o irmão continue nesta linha de comentário, alertando aqueles que estão no campo dando bons exemplos.

Daladier Lima disse...

De fato, prezado Matias, a CGADB tem sido omissa.

Daladier Lima disse...

Foste ao ponto Ricardo Leite. De fato, o Pr. buscava ter uma igreja de elite. Deu nisso!

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Sebastião é um prazer recebê-lo em nosso espaço. Procuramos sempre este equilíbrio. Ainda que não sejamos compreendidos por todos os leitores.

Abraços!

HILQUIAS LOPES DOS SANTOS, disse...

Prezado Companheiro Ev. Daladier, concordo plenamente com a vossa reflexão, e nos envergonha de forma contundente a passividade por parte da Liderança maior da nossa centenária Assembléia de Deus, do uso de nossa nomenclatura de forma leviana, irresponsável e descomprometida com Deus e com os ideias sonhados por Daniel Berg e Gunnar Vingren e tantos outros heróis da fé que ao longo desses mais de cem anos tem escrito a história da verdadeira AD, tais como, aqui em nosso Estado Pastores como José Amaro da Silva, José Rosa dos Santos, Isaac Martins Rodrigues, Amaro Alexandrino de Sena e José Leôncio da Silva, entre outros, que como a grande de nuvem de testemunha que nos cerca como nos afirma Hb.12.1, esperam de nossa geração atitudes mas firmes na defesa da Igreja do Senhor em nosso Pais... Parabéns companheiro belas brilhantes e inteligentes postagens.... Deus permaneça te abençoando e te usando como voz apologética...

Samuel Tiago disse...

Me causa espanto a velocidade que as coisas acontecem, ver o nível do clubismo que invade as nossas igrejas, sou assembleano tambem, mas, nós somos o único exercito do mundo que passa por cima dos seus feridos e os deixa para trás para morrerem a mingua.

Tocai a Trombeta em Sião! disse...

Caro pastor, infelizmente esse é um dos resultados da perpetuação do poder na CGADB! infelizmente nós pastores é que votamos no que ai está! Infelizmente estou me sentindo pequeno diante de todo esse acontecimento. Infelizmente o único jeito e levantarmos a cabeça e seguirmos em frente! Paz.
(perdoe-me a redundância, mas a palavra é: infelizmente!)

Daladier Lima disse...

Samuel Tiago deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Lições do caso Marcos Pereira":

Eu não vou discutir os usos e costumes da igreja dele, pois, na minha juventude passei por isso, mas, eu sei que isso é um modo de subjugar mentalmente as pessoas, antigamente nao podia e hoje pode, ou seja, ou tudo era um êngodo ou perdemos a identidade assembleiana. Muitas vezes vejo nós assembleianos como hipócritas e mentirosos, por não concordar com algo e ainda assim impor isso ao povo, Gente nas assembléias de Deus pipocam escandalos de adultério toda hora, e na maioria das vezes não são nas pequenas congregações e sim nas sedes setoriais, regionais, e ministeriais, pastores de renome, e isso tudo é abafado em nome da maldita ética ministerial, enquanto nós não cortarmos na nossa própria carne não poderemos falar nada. E olha que eu amo as Assembléias de Deus, sou assembleiano e não me vejo em outra denominação.

(Perdão Samuel, havia excluído sem querer,ainda bem que estava no Hotmail)

claudiopimenta disse...

tb nao aporvo o modo extremista e interpretaçoes ao pe da letra do referido pastor mas tambem nao aprovo o modo totalmente tendencioso da reportagem veja esse video dos deputados do rio de janeiro atacando a globo neste caso ai

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=29IzJfRtag0

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro Daladier,

A paz amado!

Considerar a prisão deste pastor, poderá ser uma falha ou um engano, ou uma falta de respeito, ou seja lá o que for.

O importante desta arruaça e apesar de parecer interessante a sua forma de trabalhar, com quem quer que seja, nos garante que é com a ação de heresias que ele ganha espaço.

Não me causou nenhum problema a sua prisão.

algo aconteceria com quem divulga e é divulgador de verdades no meio de inverdades e ações do Espírito Santo de Deus, na forma sim´pática de brincadeiras com os demonios.

Triste! Mais uma vez a igreja de pedra confunde aos néscios e aos que se confundem a cada dia.

Somente o conhecimento da palavra de Deus e o conhecimento e as experiências com o Deus da Palavra, permitirá a alguns que se mantenham na Porta Estreita. A larga é um convite a carnalidade.

O Senhor seja contigo,

O menor.

Pastor Geremias Couto disse...

Vi lá no FB que o preclaro amigo tinha preparado essa postagem extremamente equilibrada. Creio que é por aí. Sofre o evangelho por situações desse gênero, mas, ao mesmo tempo, creio que serve para nos abrir os olhos e fazer com que não sejamos complacentes com esses desvios. Há coisas muito mais cabeludas em nosso meio (assembleiano) que foram varridas para debaixo do tapete, às quais, para depurar o Corpo de Cristo, não tenho dúvida que Deus trará à tona um dia.

Abraços!